top of page

Devolva à vida o que ela nos deu



Olá, somos Alexandra e Rodrigo, dois professores primários de Logroño. Este ano quisemos trazer de volta à vida, de alguma forma, tudo de bom que nos está a dar e decidimos experimentar o voluntariado. Após uma longa busca avaliando várias opções, optamos pela "Escuela Unipar de Capiatá", no Paraguai. A linguagem e o projeto educacional foram os dois pilares em que mais nos apoiamos para tomar a decisão.

Depois de alguns preparativos, voamos para lá. No início, fomos com algumas ressalvas porque não sabíamos muito bem o que iríamos encontrar. Devemos dizer que vimos no povo paraguaio um povo tremendamente hospitaleiro e devotado ao próximo. Pode não ser o país mais organizado e seguro do mundo, mas seu povo sempre foi gentil e atencioso conosco e não tivemos nenhuma experiência ruim. Além disso, as coordenadoras do projeto, María Estela, Elaine e Carol, foram atenciosas conosco durante toda a viagem.


Moramos nas casas de famílias paraguaias que nos fizeram sentir como se estivéssemos sozinhos e nas remessas que nos ensinaram como tudo funcionava lá. Sem dúvida, muito melhor do que um hotel frio, eles nos fizeram sentir paraguaios e adoramos. Aliás, nos finais de semana eles fazem churrascos espetaculares que não queremos comparar com os daqui porque podemos perder.


O projeto em si era ajudar uma escola em um bairro em crescimento de Capiatá, o belo bairro de São Miguel. Durante os dias em que estivemos lá fizemos de tudo, desde jogos para as crianças até o ensino em suas salas de aula. Os professores foram muito gentis e nos explicaram as dificuldades de ser professor em uma realidade como essa e os poucos recursos que eles têm.




Por exemplo, eles não têm fotocopiadora ou internet, só têm um especialista em educação física uma vez por semana e muitas crianças não recebem a atenção que merecem em casa. Compartilhamos impressões sobre educação e conhecemos alguns alunos necessitados de carinho; ainda nos emocionamos lembrando daqueles abraços e daqueles sorrisos.



O projeto teve uma semana de pausa devido às férias escolares de inverno (sim, julho é "inverno" lá, um inverno de vinte graus em média, mas, em duas horas, a temperatura pode cair quinze graus), então oferecemos mais um projeto. Neste caso foi em uma Fazenda, uma casa para pessoas que estão tentando largar as drogas. Esta casa ficava em Concepción e aqui descobrimos uma realidade muito diferente da da escola. Garotas maravilhosas que tropeçaram, mas queriam se levantar. Verdadeiros sobreviventes que nos deram uma lição de vida. Partilhamos com eles refeições, jogos, trabalho, risos, algumas lágrimas de emoção e até um jogo de futebol. Só podemos agradecer a todos eles por nos abrirem as portas e por nos tratarem tão bem.


Devemos colocar a medalha de ser o primeiro, mas isso não deve parar por aqui, gostaríamos que mais pessoas fossem incentivadas a conhecer e compartilhar momentos neste projeto emocionante e enriquecedor. Portanto, se você é um professor apaixonado, gosta de viajar de uma maneira diferente e conhecer pessoas maravilhosas, esse também pode ser o seu projeto. Entre em contato conosco e lhe daremos todas as informações que você precisa.



0 visualização0 comentário

Comentários


bottom of page