SOBRETUDO QUE NÃO NOS FALTE A VIDA (Parte II)

 

Tecer redes

Diante das várias necessidades que estão surgindo em meio à pandemia, uma estratégia está assumindo uma importância maior: a força para tecer redes em meio à crise.

O denominador comum das organizações sociais em situações de emergência é o trabalho em rede. Líderes comunitários que nunca baixam a guarda, iniciativas de muitos cidadãos que pensam no bem dos outros, supermercados próximos, cadeias de produtores locais, empresas, instituições sociais e os voluntários, todos empenhados em apoiar, ajudar e acompanhar aqueles que mais precisam.

Na Bolívia, por exemplo, la Fundación UNISOL não parou de procurar maneiras de criar laços para atender às pessoas mais vulneráveis; seus líderes comunitários estão na ordem do dia para acompanhar aqueles que estão passando pelos momentos mais difíceis e aqueles que trabalham lá diariamente planejam todo o tipo de iniciativa para arrecadar fundos que possam ajudar a resolver as necessidades mais urgentes. No início de maio, eles lançaram a campanha “TODOS PODEMOS DONAR” (todos nós podemos doar), que foi acompanhada por iniciativas de voluntariado, como o concerto virtual realizado no dia 17 do mesmo mês.

Ainda na Bolívia, várias iniciativas foram lançadas coletivamente e individualmente na “Casa de los Niños”. Ani Hernando, voluntária de Milonga, desenvolveu uma estratégia para arrecadar fundos, colocando a serviço desta campanha  a sua experiência profissional como especialista em exercícios físicos e estilos de vida. Com essa proposta e com o apoio de muitos amigos, ela conseguiu angariar 1.000 euros em menos de uma semana, com o objetivo de apoiar a comunidade que a acolheu quando fez voluntariado na Bolívia em 2018.

A SMF – Sociedade do Movimento dos Focolares – uma das outras organizações de milONGa acompanha a emergência nos projetos Jardim Margarida e Quilombo do Carmo no Brasil. 287 famílias das duas comunidades foram atendidas por meio da entrega de kits de emergência e acompanhamento personalizado de suas necessidades. No entanto, embora o número de famílias que necessitam de atenção esteja diminuindo, a situação de quem precisa está piorando, o que implica a criação de um número maior de redes para poder atender às necessidades básicas mais imediatas, mas também acompanhar, incentivar e ajudar a criar novas idéias que permitam uma melhor estratégia para a crise.

Por esse motivo, tanto da organização SMF quanto da organização Sumá Fraternidad e da parte de Promoción Integral de la Persona para una Sociedad Fraterna” (PIP), uma outra organização aliada em milONGa para a região mesoamericana, foi iniciado um processo de acompanhamento para as organizações sociais vinculadas a milONGa para estar próximos, compartilhar experiências, mostrar necessidades e somar esforços para enfrentar a emergência em áreas vulneráveis ​​onde a pandemia ataca em modo mais forte.

Na Cidade do México, em particular, Leslie Muñoz e seus amigos iniciaram um serviço voluntário on-line “de casa”, organizando a coleta e distribuição semanal de pacotes de alimentos para famílias em dificuldade, compostas principalmente por mães solteiras, idosos e pessoas doentes.  A iniciativa, que envolve também muitos adultos que doam o máximo possível, além disso alcançou pessoas que não têm acesso gratuito a medicamentos devido à falta de assistência social.

No âmbito da campanha, foram distribuídos até o momento cerca 300 pacotes de alimentos, uma iniciativa que aumentou durante a Semana Mundo Unido (SMU) após o lançamento de uma maratona de solidariedade na qual, correndo virtualmente, foi possível contribuir com uma doação em dinheiro, recebendo o diploma ‘Fraternidade’ em troca. A iniciativa faz parte da campanha organizada pela Caritas Nacional #FamiliasSinHambre #DonaDespensas. Tudo isso para viver num espírito de comunhão e dar testemunho de unidade entre as organizações que trabalham para os mais necessitados.

Ao mesmo tempo, máscaras especiais estão sendo distribuídas para pessoas que precisam de mais proteção e material médico em alguns hospitais. Além disso, está sendo estudada a maneira de arrecadar fundos extraordinários para o Centro Social Integral Las Águilas (Cidade do México) e para o Colégio Santa María (Puebla), instituições que fazem parte da rede milONGa, onde a participação das crianças às atividades educativas corre riscos devido às sérias conseqüências econômicas e sociais geradas pela pandemia em muitas famílias com recursos escassos.

Diante desse panorama, sem dúvida, resalta-se neste tempo, a força de criar redes, de tecer juntos, de encontrar aliados, voluntários, para acompanhar esse caminho que se descobre, com o passar dos dias, cada vez mais urgente.

Você quer fazer parte dessa rede também? Quer tecer junto à todos esse tecido que nos une? Quer fazer parte deste projeto?