Completamos 3 anos e nisso lá vamos nós

 

Passaram 3 anos desde quando em 2016, os primeiros voluntários se aventuraram para começar a dançar milONGa conosco.

Naquela época, iniciava-se um programa piloto que havia nascido como uma opção para responder aos desafios, interesses e necessidades de ação concreta de muitos jovens que queriam doar seu tempo e habilidades em ações sociais.

 

Agora, em 2019, vimos que o que começou como um teste, hoje é um programa que visa consolidar-se a nível internacional, ampliando não apenas sua cobertura, mas também melhorando a qualidade da aposta formativa a que objetiva.

MilONGa oferece espaços de formação desenhados especificamente para propiciar uma experiência enquadrada na reciprocidade e interculturalidade, mas além disso acompanha tanto aos voluntários como às organizações sociais e comunidades locais durante cada uma das fases do voluntariado.

Justamente, uma das famílias pertencentes à comunidade local de Montevideo, recebeu há alguns meses a primeira voluntária milONGa nesse país. Muito felizes e agradecidos, nos escreveu como havia sido esta experiência compartilhada juntos:

“ Queremos agradecer, em nome de toda a família, pela experiência vivida de dividir nossa casa e nossa família com Elisa. Foram, realmente, dias de muita doação, de estar continuamente neste exercício de amar ao próximo, de procurar tempo para dedicar a ela. Foi uma filha a mais, cuidamos muito dela e estivemos sempre muito atentos em cada detalhe para que ela se sentisse em casa.
Dia após dia fomos nos acostumando com a sua presença e nos uniu muito

O dia da sua partida para a Itália foi difícil, para nós e também para ela, porque foi formando um vínculo muito forte. Sentimos muito a sua falta! ”

Esta é uma experiência que tem como protagonistas, não apenas os mais de 100 jovens que já fizeram seu voluntariado, mas também as mais de 15 organizações sociais espalhadas por diferentes países de 4 continentes, que se tornam o segundo lar dos voluntários que chegam para trabalhar nas e com as comunidades.

De UNISOL, uma das ONGs da Bolívia, escreve:

“Uma jovem espanhola que em 2017 fez seu voluntariado em Ricón de Luz, Cochabamba-Bolívia, pouco tempo atrás (abril 2019) chegou de surpresa ao centro social. Agora está trabalhando em um programa da ONU em La Paz, e não via a hora de vir ao Ricón de Luz para nos visitar. Nos disse que a experiência de voluntariado feita aqui foi fundamental para ela, que mesmo tendo feito outras, essa era a que lhe permitiu se arriscar a voltar para a Bolívia. Nos dizia: “Me fizeram amá-la”. Para as crianças foi uma festa voltar a vê-la, e para todos parecia que era alguém da família que voltava.”

Não apenas as organizações sociais aceitaram o convite de dançar esta milONGa internacional. Cada vez mais, as diferentes cidadezinhas pertencentes ao movimento dos Focolares, começaram a se somar a este ritmo. Até o momento são 9 cidadezinhas, espaços de formação e acolhimento de voluntários, que formam parte do programa.

Ao final de 2018, alguns meninos que concluíam a experiência de formação para jovens que se desenvolve na Mariápolis Lia decidiram se aventurar até a Bolívia na busca de espaços para colocar em prática aquilo que haviam aprendido durante sua passagem pela Mariápolis.

 

Ali, na Bolívia, chegaram em algumas das organizações sociais que também fazem parte do milONGa e junto às comunidades compartilharam diferentes espaços de trabalho, recreação e doação.

Depois de 3 anos, esta dança tem um ritmo irrefreável. 2019 nos traz grandes desafios nos quais queremos que você se junte também.

O Projeto Milonga espera por você!